sábado, 9 de abril de 2005

NOVOS COMEÇOS

* Depois de umas férias, So Pa Fla está de volta com algumas novidades.O link para comentário está de novo activo (é só clicar onde diz comments, escrever o seu comentário, escolher anonymos e clicar em publish comment). E nova organização.Haverá três diferentes tipos de posts :

Gostos...Ás vezes também se discutem ( para falar dos filmes,livros,programas de Tv,etc)
Croniquíces(cronicas sobre os mais variados temas)
Foi e Será(noticias,novidades,etc.)

Hoje como podem ver no cimo da página ,começo pelos GOSTOS.


@ As minhas leituras durante as férias da Páscoa incluiram a primeira obra do jovem autor Christopher Paolini.O livro, Eragon fez furor quando foi publicado e destronou Harry Potter e a Ordem da Fenix de J.K. Rowling nos EUA, país natal do autor.
Paolini não esconde a influência de Tolkien (autor da trilogia O Senhor dos Aneis) e recorre ás personagens mitolégicas do mesmo,como anões,elfos,feiticeiros,etc. Leva-a ao ponto de dividir a sua obra também numa trilogia, de que Eragon é o primeiro livro.
A pesar de todo o entusiasmo que a obra despertou, eu sinceramente achei o livro interessante mas nada por aí além. Falta-lhe um engridiente crucial: originalidade. E em algumas passagens a leitura torna-se francamente aborrecida.
Já tenho lido outras obras inspiradas em Tolkien bem mais interessantes, como é o caso de A Arvore do Verão, da trilogia A Tapeçaria de Fionavar de Guy Gavriel Kay.


@ O Tesouro estreou agora por estas bandas.Lembro-me de ter lido qualquer coisa a dizer que o filme tentava plagiar algumas ideias de O Código da Vinci de Dan Brown. Bem, a palavra é mesmo essa:tenta.Porque, embora a comparação entre livro e filme não seja algo que eu goste muito de fazer, devo dizer que se realmente tentaram "inspirar-se," ficaram-se pela tentativa.O filme não chega ao nível de emoção e adrenalina gerado pela obra de Brown.A caça ao tesouro é menos emocionante,as pistas não são tão inteligentes e o desfecho (que deixa adevinhar uma sequela) poderia ser um poucochinho mais elaborado.
Mas eu até gostei do filme. Jerry Brukheymer ultimamente tem-se saído bastante bem na sua área de produção de cinema-entretenimento, com obras como este Nationasl Treasure e Piratas das Caraíbas (sem esquecer a produção da execelnte série CSI,em exibição na SIC), a nos fazer esquecer coisas como Bad Boys II.
Ao Nicolas Cage faltou-lhe alguma da fúria dos seus personagens de acção mais emblemáticos (como o Poe de Con Air ou o Castle Troy do excelente Face Of). Mas não esteve mau de todo.E o mesmo digo do filme.Não é mau,mas falta lá qualquer coisinha.E se a pretensão era ser um novo Indiana Jones, como diz um amigo meu, então é pretensão a mais.

1 comentário:

José Aimé disse...

olá Kamia,
Eu estive a ler o teu blog e digo-te francamente, adorei.
Chamo-me José Filipe Aimé, estudei relações internacionais em Coimbra e neste momento vivo e trabalho na mesma cidade.
Sou guineense e queria-te lançar um desafio: Era possível perder um pouco do teu tempo para falar da cituação politico-militar no meu país?
vou te deixar o meu endereço electrónico: jofilipa@yahoo.com.br
um abraço e aguardo a tua resposta.
Ass: José Aimé