quarta-feira, 1 de fevereiro de 2006

Gosto Também De...(8)


Quem vem e atravessa o rio
Junto à serra do Pilar
vê um velho casario
que se estende ate ao mar
Quem te vê ao vir da ponte
és cascata, são-joanina
dirigida sobre um monte
no meio da neblina.
Por ruelas e calçadas
da Ribeira até à Foz
por pedras sujas e gastas
e lampiões tristes e sós.
E esse teu ar grave e sério
dum rosto e cantaria
que nos oculta o mistério
dessa luz bela e sombria
Ver-te assim abandonada
nesse timbre pardacento
nesse teu jeito fechado
de quem mói um sentimento
E é sempre a primeira vez
em cada regresso a casa
rever-te nessa altivez
de milhafre ferido na asa
Composição: Carlos Tê / Rui Veloso

5 comentários:

Manuel Jorge Marmelo disse...

Espero que, enquanto estivese em Braga, tenhas aproveitado para ver isto tudo.

Kamia aka Chissana Magalhães disse...

Na verdade, confesso que conheci mal Braga ( a cidade e pouca coisa mais). Mas vi lá Lugares que não são necessariamente sítios. Não sei se me faço entender...
O Porto foi sempre o meu Lugar preferido em Portugal. E a foz...ai saudades!( Quem diria...)

Kamia aka Chissana Magalhães disse...

Espera aí!És o MJM! Mas tu não querias matar-me ou coisa assim? Já me perdoaste?

(Diz que sim, diz que sim!)

Manuel Jorge Marmelo disse...

Eu? Querer matar-te? Onde é que foste buscar tal ideia, Kamia?
A Foz... aí estive hoje ao cair da tarde, vendo o céu avermelhar-se, tingirem-se as nuvens tocadas pelo rubor do sol poente. Foi bonito. Devia fazer isto mais vezes.
Não tenho nada para te perdoar.

Kamia aka Chissana Magalhães disse...

Então e aquilo da caçadeira lá no Tatarana?

"(...)fazer isto mais vezes." e " (...) nada para te perdoar".

Também acho.