terça-feira, 6 de junho de 2006

Um Pouco de Humor Para Relaxar

Tenho feito algumas experiências neste site engraçadissimo, onde podemos incluir legendas nossas em filmes indianos. O resultado, dependendo da criatividade do "legendador", pode ser hilariante.
Eu aproveitei a polémica da semana aqui no blog (ou já posso dizer do dia?), com o anónimo "Caçador de Racistas", para fazer uma brincadeira. Espero que todos os anónimos tenham sentido de humor suficiente para aguentar a brincadeirinha...

Kamia Pictures Introduces...
And


Aceitam-se críticas e quem sabe, indicações ao Óscar.

11 comentários:

Pura eu disse...

Estamos mesmo tramadas! Mas a animação está 10. Um mimo! Gostei...

Anónimo disse...

Animação 10! O humor faz parte do jogo, meninas. O racismo é que não. Há um código de correção nas palavras. O Anônimo não finaliza Os Momentos, através do Sopafla. Ele procura corregir a vossa linguagem que terá de expressar a correção do pensamento. Não estais a ser tramadas, dona Pura Eu. Estais a aprender a lidar com a crítica.

Comandante Alien disse...

... ainda um ti ta ri... quel dica pa kel site é mesmo nice...muito nice...lol o sr anonimo é meu actor preferido...ele precisa ser "corregido"

Pura eu disse...

Wau! Mister anónimo! Correções linguísticas, correcções de pensamento. Estamos tão incorrectas assim! E eu que me julgava Pura! Que tal tomarmos um café os três um desses dias.! terás que apanhar um avião, ou estás por aqui?

Anónimo disse...

Dona Pura Eu, Kamia e Comandante Alien

Não reajam de jeito tão visceral a uma crítica séria em relação ao "political correctness". Sou linguísta e trabalho exactamente a perversão semitótica e semântica de certos termos que importam conceitos e preconceitos "pesados". A vossa ausência de contra-argumentos faz com que transformem a questão numa chalaça, quando deveria ser séria. Não me posiciono contra o humor e a graça. Mas eles têm de ter enquadramento adequado. Desmontar a tirania e a opressão, estas não são vãs palavras, implicaria a desmontarem do léxico opressivo. É que o discurso provém do pensamento. Falta-vos alguma serenidade diante das críticas. Imaturidade, supõe-se.

Quanto ao café a três, o repto (ou o "recto" como destilou Abrão Levy num texto) está aceite. Posso ir a pé, meninas. E poderia ser no italiano, ali na avenida, antes do espectáculo no auditório.

Apareçam!

Pura eu disse...

Falo por mim, mas incluo a Kamia nesse particular. Temos toda a disponibilidade e gosto de perseguir e encontrar adequações, sejam elas linguisticas, de pensamento ou de atitude. A opressão, o racismo, o desdém, identificam situações com as quais não simpatizamos. O azedume, talvez, das nossas respostas resulta de um certo juizo injusto ou interpretação apressada da sua parte, e principalmente da sua condição de anónimo. No italiano antes do show do Mario Lucio... para um café. vamos Kamia?

Anónimo disse...

A minha condição de anônimo é uma estratégia para abordar questões sem as pessoalizações do nosso meio pequeno. Se vivêssemos num meio grande, como menos promiscuidade de conhecimentos e de relações, poderia assumir a crítica sem recear retaliações ou ostracizações. Em Paris ou em Lisboa, por exemplo, pode-se criticar à-vontade. Em Roma ou em São Paulo, a crítica é benvinda. Em Nova Iorque, ela é já uma instituição. Mas na Praia ou na Assomada, ela já é condicionada. Em São Filipe, mais ainda. Aliás, viu-se isso agora com a questão do patrimônio construído. Em meio pequeno, o anonimato não é uma covardia, mas uma estratégia de furar o bloqueio mental de certas pessoas. Isso dito sem nenhuma pontinha de animosidade.

Quanto à linguagem, minhas meninas, o significado das palavras é um conceito que abrange: 1) pensamentos; 2) sinais e 3) designatas. Tudo anda interligado. As designatas têm a ver com pensamentos. Quando se diz “dia de cão”, subentende-se que o cão tem vida dura, sacrificada e reles. O mesmo quando se diz “cabelo ruim” remetendo ao cabelo crespo do negro, subentendido duro, sacrificado e reles. Isso não é observável só com o ostracismo racial, mas sexista, regionalista, societal et cetera.

Mas deve ter piada. Só que piada inteligente. E se estou a tentar polemizar convosco é porque tive a impressão que as meninas, mais do que a maioria dos blogueiros que tenho visitado, podem abraçar esta causa da correcção da linguagem. Não disvirtuam o propósito, pois ele tem a ver com a dignidade humana…e é sério.

Kamia aka Chissana Magalhães disse...

Um dia de ausência por motivo de doença (deve ter sido castigo por andar a gozar com anónimos "inocentes") e olha o estado em que se encontra este blog. A Pura a defender-me a casa e á sua pessoas, das lógicas torcidas dos anónimos cheios de boas intenções.
Eu e a Pura estamos nessa "discussão" sem escondermo-nos por trás de máscaras. Dizemos o que pensamos independentemente das "retaliações e ostracizações" que possamos vir a sofrer. Não dar a cara para defender os seus valores e principios, defender as suas crenças, esconder-se atrás da condição de anónimo para julgar e condenar os outros...com medo de...do quê mesmo? Ser despedido do emprego? Torturado em obscuras caves? Ver a sua conta bancaria bloqueada?
Eu tenho para mim que estes anónimos que teimam no seu anónimato são figuras públicas, com uma cara para a posteridade e outra que só se atrevem a mostrar em blogues de pessoas que eles ACHAM que podem "nokautear" com um ou dois blá blás.
Este anónimo tem nobres principios, parece preocupado com questões como o racismo subentendido em certas expressões, enfim...mas como é normal acontecer nestes casos, tornou-se um pouco fanático e agora exagera.
Se quiser pode continuar a vir aqui assumir o papel de "provedor do blog", controlador da incorrecção política, mas aviso-o que vai desanimar.
Eu pela minha parte prometo contiuar a ser tão politicamente incorrecta como tenho sido até agora e até semioticamente perversa (damn!)se isso significa usar expressões como "tempos negros".
De resto acabo de tomar a decisão de não mais responder a qualquer anónimo que se apresente aqui para debates. É injusto estar a "trocar ideias" com gente qe não fazes a mínima ideia de quem seja, gente que depois pode chegar a ti, apresentar-se com outro nome e defender ideias absolutamente contrárias ao que diziam ontem.É por isso que virem os anónimos agarrar-se a essa coisa da "troca de ideias", que as ideias é que são importants e não as pessoas...ná, para mim,chega. Vão discutir sozinhos. Fui.
Ah! Pura, tenho todo o gosto em tomar o tel café. Mas achas que o anónimo dá as caras?Duvido, o mais certo é ficar escondido atrás de uns arbustos a espreitar, para ver quem nós somos.Ah!Ah!Ah!

Anónimo disse...

Contrariamente à Pura, tu não apanhaste o espírito da coisa, ó Kamia.

O café seria ocasião de ouro para um histórico encontro.

Fazer o quê?

charlidelip disse...

kamia tá de mais

Pura eu disse...

Anónimo, todas pegamos o espírito da coisa, e as meninas estarão lá de mãos dadas a chegar no local sugerido pelo senhor. Vai ser nós os três, sem o mundinho criolo que tato receia. Vai encarar? Antes do show do auditório, então. Qualquer ausência estará sujeita à livre interpretação dos presentes :)