segunda-feira, 25 de setembro de 2006

Cinemania


Elizabethtown (Tudo Acontece em Elizabethtown). De: Cameron Crowe,2005/ Com: Orlando Bloom, Kirseten Dunst, Susan Sarandon, etc.***
Cameron Crowe é um exímio contador de histórias. No que, por vezes, falha é na escolha dos protagonistas a quem entregar as suas histórias. Em Elizabethtown falhou ao escolher Orlando Bloom. Falhou também ao deixar o filme perder gás a meio para só recuperá-lo na recta final. Como sempre, notável banda sonora.

Mare Dentro (Mar Adentro). De: Alejandro Amenábar,2004/Com: Javier Barden, Belém Rueda, Lola Dueñas, etc. ****
Alejandro Amenábar constrói em Mar Adentro um daqueles filmes para um actor levar às costas. Mas a surpresa deste é que se Javier Barden está irreprensível no papel de Ramón está também secundado por um elenco admirável e músicas que são quase que também elas personagens.

Pirates of the Caribbean: Dead Man's Chest (Piratas das Caraíbas: O Cofre do Homem Morto). De: Gore Verbinski, 2006/Com: Johnny Depp, Orlando Bloom, Keira Knightley,etc. ***
Quando se iniciou, há alguns anos, a moda das sequelas (a continuação de um filme) verificou-se que a maioria perdia qualidade face ao seu original. Este segundo Piratas das Caraíbas já não trás o factor surpresa do primeiro e isso poderia ser prejudicial - em certos aspectos é mesmo - mas no essencial mantem-se intacto o charme do filme. É, declaradamente, um filme para entreter e felizmente que o faz com alguma classe porque muitos são os filmes que se aproveitam dessa caracteristica para resvalarem para a mediocridade.

The da Vinci Code (O Código da Vinci). De: Ron Howard/ Com:Tom Hanks, Audrey Tautou, Paul Bertany, Ian Makellem, etc. **
Fui injusta, quando da outra vez analisei o filme sem sequer te-lo visto como deve ser. Desta vez, vi-o do inicio ao fim sem interrupções e consegui abster-me quase totalmente do livro que originou este filme. O filme continua a não ser grande coisa (há lá muitas coisas mal explicadas, o desempenho do elenco é pobre, a fotografia e a montagem idem,etc) mas tem lá uma ou duas boas ideias (os efeitos especiais para sublinhar certas passagens, algumas das soluções para encurtar a narrativa) e tem Paul Bettany, um Silas que merecia estar num outro filme.

13 comentários:

micaelabarbosa disse...

nossa...deixou um gostinho na boca por bom cinema...mas por contraste estou numa cidade que virou as costas ao cinema. e pensava eu não ser possível...aproveito para desafiar o pessoal a despertar para a questão da ausência de cinema na cidade da Praia.

Rosario Andrade disse...

Bom dia Kamia!
Devo confessar que também nao tenho gostado das performances de Orlando Bloom depois de O Senhor dos Aneis. Para mim, ainda nao provou merecer a fama que tem. Em Kingdom of Heaven achei-o quase patético... ainda nao vi este, mas pelo que dizes, nao melhorou, pois nao?
bjico

Rosario Andrade disse...

Bom dia Kamia!
Devo confessar que também nao tenho gostado das performances de Orlando Bloom depois de O Senhor dos Aneis. Para mim, ainda nao provou merecer a fama que tem. Em Kingdom of Heaven achei-o quase patético... ainda nao vi este, mas pelo que dizes, nao melhorou, pois nao?
bjico

strawberryfairy disse...

Olá Kamia:))))
Dos filmes a que fizeste a crítica cinematográfica so não vi o Elisabethtown e o Mar Adentro, mas vou cá deixar a minha opinião....
Para mim o Código Da Vinci desiludiu-me muito, não só por ter lido o livro avidamente e estar à espera de muito mais mas porque como dizes e bem o elenco e seu desempenho ter sido muito pobrezinho....
No que diz respeito aos Piratas, para mim o filme tem piada pelo Jonhy,e continua a ter por ele, considero-o muito bom actor...
Bem amiga resta-me ir ver os outros dois e tirar as minhas conclusões. bjoka

Anónimo disse...

o k k era de espera dum filme de de Ron Howard baseod num livro de Dan Brown??? mi n fka k impressao k ate mesmo kes atores tava num goze da gaita durante kes filmagens!! Ron kata txa dakel manias de faze kes imagens CGI pa ilustra um passagem kualker de filme (i.e. kel funcionamento dakel cryptex)....jal tinha fete mesma kosa na "a beautiful mind"..enfim! mas um filmin de RROLIUDE!!
..bzot fka dret!

Kamia aka Chissana Magalhães disse...

Ena,contente por ver o pessoal a comentar filmes :)Sempre quis isso, que os meus comentários a filmes permitissem aos outros dar a sua opinião e daí quem sabe partir para uma discussão.
Micaela, eu tenho evitado a questão da falta de uma única sala de cinema aqui na cidade capital porque tenho um feeling de que se eu soltar o verbo quanto a esta questão...não vai ser bonito de se ler.Por isso, vou sofrendo calada.

Rosário, sim, acho que Orlando Bloom é um daqueles casos tipicos de Hollywood: carinha laroca e pouco mais.

Fairy, veja Mar Adentro sim. O cinema espanhol há muito que provou estar num bom nivel e Alejandro Amenábar é a prova de que Almodovar não é o único talento por lá.
Sim, Johnny Depp leva os Piratas ás costas. Ele é quanto a mim um actor completo, cheio de versatilidade.

Kijack, aqui há uns tempos já tinhamos (eu e alguns leitores)manifestado a descrença de que Ron Howard fizesse de Código da Vinci um bom filme.Eu não morro de amores por ele porque só faz daqueles filmes bonitinhos, bem comportados, melosos e fa-los sem grande génio.
Sim ele repetiu aquele efeito especial já usado no Beautiful Mind e eu acho que é das poucas coisas bem pensadas do filme, principelamente nas cenas no louvre, para ressaltar as letras dos anagramas.
RRoliude :)

Hugs people

micaelabarbosa disse...

E Kamia, a questao da ausencia de cinema e alarmante, muito, e todos nos temos a responsabilidade de soltar o verbo sim...mesmo que esse verbo possa nao a gradar a muitos. Sou meia inconformada com as coisas e por isso nao consigo segurar esse mesmo verbo que falas.

Kamia aka Chissana Magalhães disse...

Micaela, passando pelos arquivos do blog, poderás encontrar um ou dois posts onde manifesto a minha preocupação e revolta pelas condições das salas de cinema existentes na Praia e pela (má)qualidade dos filmes exibidos quando estas existiam.
Podes também perceber pelo geral do meu blog que eu também sou inconformada e que lá vou soltando o meu verbo sobre as coisas que me incomodam.
Eu tenho a intenção de abordar esse assunto sim, mas é que estou com ambições de fazer uma coisa mais aprofundada, inclusive alguma investigação, falar com algumas pessoas e fazer um trabalho mais completo e não apenas um post opinativo (embora eu não seja jornalista, quero mesmo fazer isso, inclusive entender melhor como foi possivel chegar a este ponto).

Hugo Alves disse...

Sob pena de ser fuzilado, devo dizer que o Cameron Crowe é absolutamente sobrevalorizado. Basta ver que o seu filme mais aclamado - vanilla Sky - é um remake piroso do belo "Abre los ojos" de Alejando~ro Amenabar, o mesmo de Mar Adentro (um filme com momentos bem latos) e do excelente "Tesis", um thriller assombroso.

Deste senhores "modernos", nada como o M. Night Shyamalan e, claro, a Sofia Coppolla.

PS - eu bem disse que ia passando por cá

micaela barbosa disse...

ok Kamia entendi. Estou contigo, se precisares dum help.

Kamia aka Chissana Magalhães disse...

Hugo, eu penso que Cameron Crowe já foi mais valorizado. Hoje em dia tem um hype negativo.
Eu também prefiro o Abre Los Ojos, que vi há uns anos no Canal Hollywood. Mas não acho Vanila Sky tão mau assim.E Quase Famosos era bom.

Hum, quer me parecer que o Hugo é daqueles que vê muito poucas qualidades no cinema moderno.Bem,os clássicos são clássicos mas nem tudo o que se faz hoje em dia, nem tudo o que vem de Holywood é mau.

Gosto do trabalho de Shyamalan (cada vez que revejo A Vila descubro algo novo a admirar)e desde Virgens Suicidas que Sofia Coppola me conquistou mas incluiria muito mais modernos na minha lista.

Hugo Alves disse...

Digamos que salvo raras e honrosas excepções - ainda hoje vi uma (the black dahlia) - o cinema contemporâneo é mauzinho. Tenho pena é que nomes como, por exemplo, Atom Egoyan ou como Lukas Moodysson (Ingmar Bergman apelida-o de génio) não sejam muito conhecidos.

E isto vai tão mau, tão mau, que até o travelling começa a ser uma arte em extinção. Felizmente vai surgindo rapaziada boa, como um Wong Kar Wai ou um Chae-Won Park, que já são clássicos modernos. Felizmente lendas vivas como Bertolucci estão no activo e que Woody Allen ou Almodóvar estão em forma. Do mal o menos. :-)

DoutorXtranho disse...

falndo em FILMES, vejam CRASH...simplesmente fantastico