terça-feira, 19 de setembro de 2006

Das Séries

No outro dia confessava a minha paixão por Lost. Foi amor à primeira vista e mal possso esperar para que se inicie a terceira temporada (em Outubro, nos EUA).
É um facto que prefiro Cinema a TV, um bom filme a uma série, mas sempre apreciei uma boa série. E tenho cá para mim que a nossa televisão já prestou melhor serviço neste capítulo. Antigamente tinhamos direito a boas séries, mais do que uma por semana até. É verdade que muitas vezes ficávamos sem saber o final das séries, porque a TVEC ou TNCV (hoje TCV) interrompia as transmissões das mesmas, ou por já não ter mais cassetes ou por preferir dar outra coisa qualquer.
Pessoal aí da casa dos vinte e tais para cima, lembram-se de Twin Peaks? Eu era fascinada por essa famosa série de David Linch. Tinha o quê? Uns dez/onze anos e tinha também um medo daquela atmosfera toda, do Terceiro Homem... mas quem disse que eu deixava de ver? Todas as sextas (passava às sextas, não era?) lá estava eu, tentando perceber os mistérios daquela trama.
E quem é que não gostava de MacGyver? As aventuras do rapaz dos gadjects faziam a familia toda reunir-se frente à TV. Eu, os meus irmão e primos vibravamos a valer com as correrias, explosões e fugas impossíveis do irreverente agente secreto.
Lembram-se de Pássaros Feridos? Uma em que um padre apaixonava-se por uma rapariga que ainda por cima era muito mais nova e até tinha com ela um filho? A certa altura cortaram a série e toda gente disse que tinha sido dedinho da igreja católica (mais tarde repetiram e deram até ao fim). O mesmo aconteceu com a série As Trevas Cobriram a Terra, que era sobre a inquisição e só vimos dois episódios. Sumiu do ar sem qualquer explicação.
Havia também A Praia da China sobre enfermeiros americanos no Vietname; As Teias da Lei sobre as agruras e felicidades da vida numa firma de advogados;O Justiceiro que tinha aquele carro incrivel que ainda por cima falava; as mais antigas e novelescas Dallas e Dinastia (em vias de virarem filmes, dizem) com aquelas familias ricaças e dois dos maiores vilões da história da Tv americana: JR em Dallas (Larry Hagman) e Alexis (Joan Collins) em Dinastia. Por outro lado, detestava Alf (sobre um extraterrestre peludo que abusava da paciência de uma familia que o acolhia). Depois, já nos anos noventa, fez sucesso Marés Vivas (Baywatch) , mesmo que por cá os rapazes não tenham tido a chance de ver os episódios com a Pamela Anderson.
Mas de todas as séries do passado, as minhas preferidas sem sombras de dúvida eram Missão: Impossível e O Polvo. Eu tinha verdadeira paixão por Missão Impossivel e, todos os domingos, aguardava ansiosa a hora de ver o novo episódio (que muitas vezes não era novo, pois volta e meia repetia-se os episódios passados, mas eu não me importava). Grant, o único negro do grupo dos espiões, era o meu favorito. Admirava tanto as suas habilidades, que depois nas minhas brincadeiras tentava imitar os seus dotes de "engenhocas". Para mim a série era perfeita, com excelente combinação de acção, drama, humor (só não tinha muito romance), um elenco carismático, histórias bem conseguidas e aquela música de abertura...até hoje não sinto um grama de afeição pelos filmes de Tom Cruise (que não têm nada a ver) da que tinha por esta série.
O Polvo, excelente série italiana sobre a Cosa Nostra, até hoje me deixa saudades. Eu chorei quando mataram o comissário Catani e também sofri de verdade quando David (o seu substituto, por quem eu tinha uma paixão platónica) morreu devido a uma bala que tinha alojada na cabeça. Percebem que a minha queda por coisas italianas vem de longe?
Os anos passaram e outros canais de TV e o DVD trouxeram outras séries. Guardo especial carinho por Aly Mcbeal, Ficheiros Secretos, O Sexo e a Cidade, Friends, Seinfield, Serviço de Urgencias, as delirantes A Empresa e Scrubs: médicos e estagiários e as britcoms. Mais recentemente, cativaram-me Sopranos, Sete Palmos de Terra, Irmãos de Armas, Roswell, Alias: A Vingadora, CSI: Las Vegas, 24, Donas de Casa Desesperadas e claro, Lost.
O futuro? Já ouvi que Prison Breack é mais ou menos, que Gray Anatomy é muito bom mas o que eu quero mesmo ver é House. Pela descrição do personagem-titulo tenho um feeling de que vou gostar muito.

3 comentários:

Kukinha disse...

Obrigado pa fazen lembra di alguns séries di nha infância/adolescência. A Praia da China era un di kez ki ta ficaba ofuscado na lembranças, o ki fazen lembra tb di Norte e Sul.
O Polvo...
Quem matou Laura Palmer era a pergunta do milhão.
E encontrar alguém na rua na época do Carrossel era Missão Impossível mesmo.
Valeu mesmo kamya e a todos aconselho: House e Anatomia de Grey.

strawberryfairy disse...

Olá amiga vim cá dar um saltinho.... mesmo distante todos vimos as mesmas series.... eu adorava o Polvo:)abreijos

Kamia aka Chissana Magalhães disse...

Olá!Que surpresa.
Sim, O Polvo era mesmo uma boa série.Hoje em dia parece que a máfia italiana mudou-se de vez para os States (i.e. Sopranos).