quinta-feira, 28 de setembro de 2006

A "REVOLTA" DOS MÚSICOS


Parece que os músicos (falo dos instrumentistas) de Cabo Verde resolveram dar um basta naquilo que consideram ser a sua marginalização e assumir o protagonismo que acham que merecem.
Há muito que tenho ouvido certos desabafos que levam a crer que os músicos das ilhas acham-se subvalorizados relativamente aos cantores ou mesmo em relação a outros músicos, cuja glorificação pelos media nacionais e internacionais e pelo povo cabo-verdiano (por vezes imerecida) os deixa com uma certa - não vou dizer inveja para não entristecer ninguem - sensação de que eles são esquecidos.
Terão razão? Sim, até certo ponto, é um facto que muitos dos artistas hoje tão bem sucedidos contaram e contam com o excelente trabalho desempenhado por alguns destes músicos, sem os quais as suas carreiras poderiam ter evoluido de forma diferente. Na hora de elogiar este ou aquele cantor raramente os músicos que os acompanham recebem o destaque que muitas vezes o seu trabalho merece.
Quanto a mim, há dois aspectos a reter:
1. Que os músicos terão que se conformar, porque em todo o lado é assim: sendo eles o suporte de um cantor/cantora estarão sempre num segundo patamar relativamente a este por melhores que sejam. Vejam os U2, o grupo que acompanha Diana Krall,sei lá... o grupo da nossa Cesária...todos têm excelentes músicos instrumentistas mas quem canta, quem fica á frente no palco é que atrai os holofotes. Eles são os leading man ou ladies. Será sempre Cesária e o seu grupo e não Cesária e fulano e beltrano e sicrano...
2. Que se quiserem que o seu trabalho seja mais reconhecido pelas massas e maior projecção nos media terão que seguir as pisadas de Bau (que me parece que foi dos primeiros músicos cabo-verdeanos a lançar-se a solo e não se deu nada mal), e mais recentemente Djinho Barbosa e Kim Alves que resolveram por em destaque os seus excelentes dotes com "Trás di Som" e "Danças das Ilhas".
Outra mágoa dos músicos parece ter a ver com o modo como se fala de música em Cabo Verde e quem fala de música. O Multime(r)dia é um dos que tem posto o dedo nesta ferida e, através deste blog e outros, tenho acompanhado os desabafos de alguns músicos quanto a esta questão. Eles parecem estar algo desapontados (para não dizer furiosos) com a forma como certa comunicação social fala (ou não fala) de música, dos músicos, dos concertos e tudo o que esteja relacionado. Querem que os jornalistas tenham maior domínio histórico e técnico sobre o assunto. Parece-me justo. Mas não concordo quando se parte para a generalização e se põe todos (neste caso jornalistas) no mesmo "saco".
Agora, alguns deles radicalizam e parecem querer estender esta exigência ao comum ouvinte de musica. Sim, já tenho lido e ouvido por aí alguns comentários de músicos manifestando o seu descontentamento, e até desprezo, por quem não saiba o que raio é um sí menor ou ritimo sincopado, ou sei lá o quê, se atrever a falar de música. Bem, isso seria o mesmo que exigir a quem não seja político a não falar de política, quem não for cineasta a não falar de cinema, quem não for jornalista a não falar de jornalismo e assim por diante...
O que quero dizer é que todos nós temos as nossas sensibilidades e temos o direito de as exprimir. Claro que quem nunca na vida ouviu Wagner não pode estar por aí a dizer que a sua obra é a dramatização perfeita da música. Mas aquele que ouviu, tem todo o direito de exprimir as emoções que lhe despertou sem ser obrigado a identificar as notas, os ritimos, harmonia, etc. A isso chama-se opinião de leigo. E todos temos direito a ela.

26 comentários:

Anónimo disse...

..hummmm! ..tem tonte kosa pa dze sobre isso.. kun ka sabe pa onde kun ta komeça! axo k seria um bom assunte pa ot tertulia.. ou um post..ya!! um post!!
so um kosa: tonte de nos e kta abri um encarte dum cd pa espia kel fixa tecnica?.. fka dret!

Anónimo disse...

so um ot kosa kun eskce: N kata konsideral um revolta.. simplismente nha objectivo e reposição de VERDADE!!! nada mais k isso! .. pode parce k não.. ma tem um bokod de mentira enkobrid na nos kultura i txeu des k ajuda de nos Me(r)dia... fka dret.

djinho barbosa disse...

acho tbem que se não é nem de perto revolta :)
Pessoalmente acho que há pessoas em contexto.
Por exemplo o Duka (não se a Kamia conhece) pode ser/continuar eterno desconhecido...Mas qual foi o papel deste musico no Bulimundo...ele acendeu várias luzes lá dentro. Mas sim cantor é o ponta de lança no formato que temos...

Anónimo disse...

oi jovem, um ta tchemod jovem porque pelos vistos bô ê tao nova que nunca bo uvi fala na luis rendall, luis morais ou chico serra, tututa, taninho ou ainda tazinho...e um carrada des que não vale a pena um dze...mas um pe na poça quando bo ta dze que Bau foi um dos primer... es tipo de texto li ê que ta causa revolta de músicos... ate breve e procura sabe de coisas antes de escreve titulos jornlisticos pa tchema atenção.
Fca dret e sem revolta

humberto ramos

Kamia aka Chissana Magalhães disse...

Kijack, claro que há milhentas coisas a dizer sobre o assunto, nem o meu objectivo era de que esse texto fosse um documento oficial que encerrasse o assunto.É só o meu ponto de vista, muito resumido.
Sim,quantos de nós vai ver a ficha técnica de um CD? Penso que um nº de gente mais ou menos igual áqueles que reparam na ficha técnica de um filme ou na editora e outros detalhes de um livro.

A propósito da palavra revolta... Eu sei o significado da palavra, daí ter usado aspas. E podia até nem usá-las que qualquer pessoa, que não estivesse á procura de onde pegar para ripostar, perceberia que se trata de uma figura de retórica.

Sr. Humberto Ramos,sou jovem sim, com muito gosto e espero manter-me assim por muito tempo (pelo menos de espírito). Conheço (não profundamente)Luis Rendall, Luis Morais e Chico Serra. Tututa, Taninho, Tazinho e provavelmente outra "carradas" de Ts não conheço.Não tenho problemas em assumir a minha ignorância (estou sempre a repetir aqui no blog que estou plenamente consciente do tanto que ainda tenho que aprender e que espero que viva o suficiente para aprender mais coisas - tudo não, que isso é impossível.
Vamos lá, sr. Humberto,o senhor deve dominar esse assunto muito bem mas com certeza haverá outros de que o senhor não seja tão conhecedor assim. Ou então, quando o senhor tinha a minha idade também não tinha na ponta da lingua os nomes dos músicos da geração dos seus pais e avós.Ou tinha?
Quando eu mencionei Bau, eu usei a palavra "parece-me". Isso implica que eu não tinha a certeza e introduzi a expressão para esclarecer os leitores. Parece que foi inútil. Mas estou-lhe agradecida, pois graças a sí a minha dúvida teve fim. Bau não foi um dos primeiros.
O senhor acha o meu título jornalístico? Não pensei nisso quando o escrevi. Apeteceu-me, e como nem tenho editor para controlar-me, escrevo os titulos que me derem vontade, pensando egoísticamente só no meu gosto pessoal e não no dos leitores que preferem títulos...cinematográficos? Musicais? Literários?.
Acredite, eu não tenho necessidade nenhuma de chamar a atenção.Aliás, essa atenção a que se está a referir, eu abomino. Agora voces músicos precisam de chamar a atenção. Urgentemente. Cabo Verde precisa saber do vosso sofrimento porque se vocês continuarem com essas mágoas isso pode até causar uma úlcera, ou assim. E nós precismaos de saber quem são os verdadeiros artífeces da música cabo-verdeana (esta parte é a sério).
O objectivo do texto não era causar revolta a ninguem, mas como há gente que se revolta com pouco...olha nada posso fazer, talvez recomendar água com açucar?


There we go...

Anónimo disse...

ola, otra vez
contente que bo resposta mas um
fca que pena se bo ofende...
mas ja bo mostra musicos manera es deve revolta...
um ka precisa dze mas nada.
sobre bo receita, obrigada mas um ta dispensal...conde um precisa jam sabe ma kem um ta fala...

humberto ramos

Kiso Oliveira disse...

Kamia.. de forma k bo ta fala de "magoa" "ulceras" "chamar atencao urgentemente" i ots kosa.. ta kai mal! ta parce ma no kre realmente e txma atencao pa nos.. i ka e isso.. e moda n dzeb: VERDADES!! VERDADES! so isso.. mentira e um kosa mute feio i mariot na kualker assunto... d certeza k na bo area profissional bo kata admitil ka e? pois.. ka no eskce k no ta li tambe ta referi a um ot profissao "MUSIKA".. k ta encerra na el koisas k txeu ots profissao katem... el tem kel lod "kriativo" k ta da kob d um pessoa!! pois.. .kriaca e ka um kosa moda matematica ou controlo de trafego aereo k e sistematico i ja ta tud decidido i onde k katem espace pa kria nada! senao.. tud alguem tava pode estod a vontade na musika ka e?
pois.. e ka bem assim.. ka simplismente fala de "bzot txma atencao urgentemente pamo senao ainda bzot ta kria um ulcera"... se kalhar ja bo uvi fala de sofrimento de um pintor diante dum tela vazio.. ou enton.. kond es ta txga na um musiko i es ta dzel "fazem arranjos pa ess musika" bo ka sabe o k kel ta "sofre" pa KRIA um kosa original i konsistente... klaro kun tita fala de MUSIKOS i MUSIKA!! nao dakes cena komercial onde k tud ja ta pre-concebido, pre estabelecido... bo sabia por exemplo kun zouk love tem k ser tokod na 88BPM??? pois.. tem k ser!! moda um HOUSE e tokod na 125!! i assim por diante..
fala de musika ta parce simples... tud gente ta gosta... tud gente tem um opiniao a da! bo sabe.. bo fala na opiniao de leigo.. sim.. tudo bem! ma um jornalista... ou ot pessoa ligod a comunicacao.. tem por direito informa antes de emiti um opiniao!!!! mim n kata sai prei tafala d koisas kun ka sabe ao certo!! n kata fala de medicina... n kata fala de economia nem de politika externa!! nha opiniao de leigo.. kond n fazel.. n ta tenta k el seja "mais ou menos" dentro de algum parametro kredivel i baseod na factos veridicos. n kata senta ta inventa!...klaro k bo ene obrigod a sabe sobre musika pa dze se um tal CD ta agradob ou nao.. MAS.. kond ja bo tita fala de "REVOLTA" dos musikos ao ponto de fala na "ulceras" i necessidade urgente de txma atencao...

bom... fka dret!

Anónimo disse...

É preciso lembrar que poucos são os músicos que se disponibilizam a dar umas "lições" de música aos jornalistas ou seja a quem for. E também que poucos jornalistas têm tempo ou vontade para passar além do óbvio, para aprender.

Eu considero que jornalistas e músicos devem trabalhar em parceria. O jornalista deve - tem a obrigação - de "ouvir a música com ouvidos de ouvir", procurar conhecer a história da música, ler as fichas técnicas e por aí fora.

Mas os músicos também têm que ajudar a que se descubra a sua música, caso estejam mesmo interessados em ser compreendidos e se importem com as críticas (muito não estão nem aí).
Em vez de estarmos neste debate se os jornalistas percebem alguma coisa ou não, se os músicos estão revoltados, valia a pena que alguma coisa começasse a ser feita na prática. workshops, debates, etc, não sobre esta "revolta" mas sim sobre a música cabo-verdiana e a componente técnica da música.

E já agora também se poderia dar a oportunidade ao jornalista de explicar com que linhas se cose o seu trabalho.

Por fim, quero dizer que por muitas regras e debates que se faça a música será sempre interpretada e assimilada de acordo com o background de cada um.
A subjectividade "will always rule"

Rita

Kiso Oliveira disse...

n ta akrescenta:

"the truth will always be" -Pat Metheny

(muska prop bnit d pat metheny... tem td a ver)

Anónimo disse...

Verdade? Qual verdade? Por mim, a única dita aqui é sobre a excelência das músicas de Pat Metheny. Os jornalistas medeam notícias e opiniões. Os músicos, até parece La Palisse, fazem música. Estes não têm que ensinar a profissão daqueles a ninguém e vice-versa. Tomar juízo, minha gente. Presunção e água benta, evitando as opiniões talibânicas e categóricas de cada um. Por estas bandas, reza o preceito: cada macaco no seu galho. Inté...

Me2

Anónimo disse...

Cada macaco no seu galho, é isso mesmo!

Rt

Kamia aka Chissana Magalhães disse...

Sr. Humberto nca ofendi. Nem um bocadinho.

Kisó, na nehum momento nca trau bu razon di fica indignadu ku mentiras ki bu atcha ma sta ser passadu.
Um zouk tem ki ser tokado na 88 quê??? Ná, mi di zouk e kes tipu de música lá uniku kusa ki ncre sabi e ses tem um bom batida pam badja sabi. Nta morri sem cria interessi na ba analisa sel é 88 o 94BMW :)

Quanto a úlceras, chamadas de atenção e aguas de açucar...
Na modi, Kisó, bu sabi kusé ki e ironia.Tem hora kel é uniku resposta ki bu deve tem pa certus abordagens. E di kel poku ki djam conxeu ta parcem ma bo e bom na el. Aliás, kela e um di kes kusas ki nta atxa ma e um caracteristica di guentis soncent e ki nta curti.

Fica dretu.


Rita,concordo em parte com o que dizes. Da minha parte, já fico satisfeita por o meu texto pelo menos ter permitido que tu viesses cá deixar essa ideia da colaboração entre musicos e jornalistas.

Anónimo disse...

M2 (sera mito??) dze muito bem! ninguem katem k estod ta ensina se profissao pa ninguem..kem kre sabe mais.. tem informacao a vontade espaiod pa td banda pa konsulta! kada kual na se devido lugar! i kuanto a kes "verdades" kun tem estod ta dze i repeti.. es ta bem txga na ses devido altura!.. ka meste nem kria ulcera nem aga d'azucar... nada disso.

Anónimo disse...

Dança das Ilhas*

Stadu li so na dpd
un dja futi, otu dja prutchi
CD, DVD, viola, riola,
konbersu sabi sô na TCV

Kim ta basea, Cise ta papia
Kamia ta simia, Kiso ta kata
Sampax di 1 nota sô, blog
boogie, woogie, junk, funk

Djosinha kumbia, Fortinho zouk,
zen di Kukinha, Djinho na zoom
Mayra ta manda, Tcheka ta reina

Kzick ta merdia, Filas ta kurti,
Mito ta mordi, Ráuss ta sopra
Dança das Ilhas...forti merda!


Mrs. M_Neverland

* Emocionada com tantas asneiras de Kim Alves, no A Semana, e tanta dôr-de-cotovelo de Kisó, na blogaria crioula...

Anónimo disse...

Ki mérdia!

Me2

Anónimo disse...

pssssst!!!!! Me(r)dia! sff!!
kuidaaaad!

(nhna vida e ri gatxod agora!!!!!)

Guy Ramos disse...

Tema intressant y pone pa manga pa dabates k'nunka ta kabá. Na nha rialidade onde k'm ta vive maior part de jornalistas e kta skreve sobre artes e formod nun dixsiplina d'arte y ou kultura. Kritikus de muzika txeu vez e muzikus, muzikólugus ou ainda historiadores spesializod na kultura. Purtant es tem kunhesiment basiku du tema kes ta skreve, komenta ou entevistá. Naturalmente ke na Kab Verd ainda no ka tem es luxe de ter psoas spesializod na kada un des art ou kom konhesiments mais alem du ke simplesment jornalismu. Maior part de jornalistas na nos terra e soment jornalistas. Es ka tem outra specialidade ou es ka ta dumina ot rome, setor , dixsiplina, ou profisaun. Es e tud simplesment psoas e kfoi treinod ou nao( ten txeu autodidatas) na transmiti ou deskodifika akilu kes ta observa ou akilu kes ta uvi de um outro. Es ka e mas du ke um instrument pa deskodifika y simplifika komunikazsaun. Pur es mutive li no ka pode das kulpa de txeu vez ser inganod pa informasoins pok veridikas. Na verdad a roda de nos storia muzikal ta izisti txeu mitus y misterius. Kuant a min isu ta inkontra se resposta simples na nos kultura de boka boka, pok e skrit, ka ten um arkive publike onde k'tud intresod nun tema pode investiga y no ta kaba pur forma nos opiniaun na uvi dze ou atraves de entrevistas ma psoas de outras gerasoin ke as vezes ja ka ta nem lembra dret dakes faktus ou es ka ta konxsient da maldad/krime a kultura kes ta stod ta komete. Ou ainda no ta uvi muzikus fala de muzika sen na verdad es ter kunhesiment de muzika. Es e merament tokadores de um instrument ke pur ventura es inkontra na kaza ou es intresa toka pa pode pasa temp.

Voltond a muzika... - sempre es tema izisti. Grupus de akompanhament e sempre sksid. Pamod es e soment komplementariu na prusesu d'akele artista e kta em foku. Ka divia ser ma el e asin. Pamod no ta lembra de kristu ma pok de nos ja sabe numia tud kes 12 dixsiplus.

Ja busis pensa na u k'um kompositor ou autor de um muzika deve sinti kond se muzika ta ser izekutod au vive nun palku ou emitid na radios ou na programas televizivus y se nome ka ta ser numiód? Isu e roubalheira y mas pior du ke um artista akompanhante e k'sempre ta ganha se tont kond el ta akompanha um strela de nos kultura muzikal. Na arte kabverdiana kem ki e mas robod e autores y kompozitores. Nunka es e pago pa difuzaun na radio y televizaun ou kond ses muzika e izekutód na festivais y spetaklus. Ninguen ta paga direit de autores a assosiasoins de direits de autores onde ke es artistas e inskrit. Alguns e inskrit na SPA na Portugal outros na Sacem na Fransa y ainda outros na Buma na Holanda. Es li e kes sosiedads de autores y kompozitores kabverdianus ta mas inskrit. Y s'm preguntas tont e kes es pago de Kab Verd resposta e ZERO VIRGULA ZERO. M tita spera dezenrolar de nos sosiadad de autores na CV. Vai funcionar ou nao?


Parsem kma muzikus ou kompozitores de grands artistas dentre de nos kultura sempre sube ses lugar. Ou seja sen grands luzes y sen grands rekonhesiment. Pamod sima no ta fala de muzika no ta fala de futebol. Kuaze nunka es ta fala de kem kta po Maradona, Pele, Cruijff ou outro deus de futebol kel passe pa es inkontra na puzisaun de golo. nO ta lembra e dakel golu y dakel jugador. Kes defesas y meiu kampus e ktive na inisiu de um golu no ta skses kompletamente.

M ta konxe txeu muzikus y m pode afirma li k'm ta konxe maior parte de muzikus de nos atualidade y de nos storia. M ta konxes pesualment y m ta dialuga ma es. Nha konkluzaun e ke txeu des ta vive frustrod ou es ta kaba pur more frustrod pamod nunka es teve kel rekonhesiment kes tava dzeja.

No fala pur izemple sobre u homen tras de susese de Cize... Ti Pol, Paulino Vieira. Sera ke Cize e mas grand muzikalment du ke Paulino Vieira? Kenhe ki e mas grand du ki Paulino? Ma no pode pregunta tamben: Kem ki e mas grand du ki Bana( muzikalment falond)? Dpos no ta pregunta ma kem ke leva Bana a ser Bana? Varius autores, kompozitores, muzikus. Ma dot lod no ta pregunta: - Kem ke da Paulino spase y oportunidad del ser muziku profisiunal y asin dzinvolve a u kel e grinha sin? Ma m sabe de serteza kma txeu stranger li na Holanda onde k'm ta vive, ou noutrus lugar de mund kma Cize e mas kunxid du ki Paulino Vieira ou ainda te mas kunxid du ki Adriano Gonçalves, Bana kten mas diskus gravod du ke um kualker ot kabverdian na storia de muzika de Kab Verd. Y ninguen la fora ta konxe Bebeto, Armando Tito ou ainda Kabanga. Ma tud es nomes ta ligod a susesu komersial de Bana y de Cize. Pur isu m ta otxa kma no ten ke spia koizas sima es e. Y vida e feitu de skolhas. Ou no ta skulhe pa ser akompanhantes y no ta dezenvolve nos kargu komu tal ou no ta opta pa ser um strela. Ma nem tud strela ta ter um raiu de luz taun brilhant sima e dzejod. Streelas ta depende de tud y todos. Ten strelas longe de nos realidad ma kta brilhá sen no konxe um raio de ses brilho. ten ots e kten energia de pouka duransa. Y ka no kompara artistas ma kumpanher y gerasoins de artistas ma kumpanher. Kada um se epuka. Kada um se art. Kada um se susesu. Kada um se Luz. Um koza e sert tud es e dependente de ses virtuozidad, ses humildad, ses modestia ma sobretud de ses profisiunalidad y talent. Y txeu ainda ka ta la pa stod ta pdi um luz pa es so. Dpos rekonhesiment de um muziku y se muzika, se art e referensiod log se el ta pode abrangi um publiku mas vastu pusivel dentre de um kuadre stipulod pa autoridades na asunt ou seja: Finansiadores, produtores, programadores de salas y festivais. Major labels ou kompainhas de garvasaun sima Lusafrika ki e padrinhod pa Sony y outrus e kta manda y desmanda nes asunt. Ka e art da muzika ma u poder de pode introduzi um produt nun merkadu e ki e rendavel. Senaun po na bixa. Es e kta manda nes sirkulu. Susese de Cize ka e soment se voz, se humildad, se pe na txon, nos morna y nos terra izotiku. Se susesu ka e soment PAulino Vieira, Armando TiTo, Toi Vieira, Bau, Chico Serra, Nando Andrade Koke, Totinho y outrus muzikus e kja teve na se prusesu. Se susesu e sobretud um plon de marketing e k'funsiuna pamod Djo sub entra modestament nes sirkuit y pamod Muzika de mund tava k'nesesidad de um ot koza, algu stronhe. algu ke ainda es ka tinha provod, algu kuaze lunar kes imbruia na storia y vivensia de Cize y de nos tera. Susesu de CIze e um pakote malindroze y ben pensod. Y el teve sort de kai na paladar de franseses, merkones, japunes y tudu ots kultura e kta stod ta prokura noves produts kulturais pa renova ses merkod y pa pode rende dnher. Txeu dnher. Es koza e ikononia. El e um formula ikonomiku. Kultura y arte e um industria grand na mund y no ka ta konzsient de se tamonhe y de se impact. Ka no subestimal. Na Holanda el e produtu nr 3. Y sno ka tama fe Kab Verd ta fka ke barba Intxod nes prusesu pamod stranger ta kaba pur tma tud nos artistas y no sindustria muzikal. Nos guvernu y entidades y autoridades de nos tera nes asunt divia mete um ot luneta y trasa novus parametrus de strategia senaun es komboi ta pasa y el ka ta para pa txa u ki e de nos.

Kom konhesedor des ambient de muzika, sen m ter pretensoins de ser musiku m ta soment dze u ke Ti Pol dzem um dia nun madrugada diskusaun a dois: "Guy es bolo de nos muzika e grand y nos tud tem part na el, jada um ta kabel um pedasin e kta tokal konsuant se partisipasaun, konsoant se tamonhe. KAda um se ratxinha. Ke no pensa kme mas du ki ta kaben pamod ta kaba pur vomital fora. pamod el ka era nose". Kada um se traboie de kada muziku dentre de se pusiblidad. ma tud tb dentre de honestidad. Kem ki emas piknin ta ba serka kem ki e ma grand ta ba panha. No ka presiza kubisa u du outro nen ter dor de kutuvelo. No presiza e trabaia mas y konsegui marka novas etapas dentre de dezenvolviment de nos kultura. Ainda no ka txga. Ten txeu kamin pa anda. Na kada kumu de um kutelu kno ta sbi, kno ta txga, no ta repara kma tem um outro ainda mas alto. Y kem sab u ke nos destinu tita reserva pa nos.

Guy Ramos

DoutorXtranho disse...

Revolta ? Onde ? ondé? um ta otcha que muitos musicos de Cabo verde( mais conhecido pa "acompanhantes" ou "amigos de" ) cai na um certo laxismo e que esh ta na um buraco que dificicilmente esh ta sai, desde ja convem dzé que tem um X (xis) numero é que ja sai dakel buraco, tem um X numero que nunca teve naquel buraco, e que tem um X n° é que ti ta ba cai na quel buraco...ess buraco el tem varios nomes , um dakés pode ser esqueçimento, outro pode ser desvalorização, outro pode falta de ambição artistica( na polo oposto nô tem ambição material); Um utilizà palavra laxismo porque acho que tem tcheu é que ta segui caminho trilhode pa produtores(ou pseudo produtores) sem escruplos( e esh ca ta dze nada)...mas se houver uma revolta dos musicos, gostaria de ver, mas acho que isso ca ta passa de um utopia, nada mais...porque de maneira que coisas ta organizode na cabo verde,um revolução ca é possivel...pelo menos por enquanto, ta começa naqués radio, televisão jornais me(r)dia em geral, ca muda sés forma de divulgação de musica (a verdadeira) de Cabo verde, e esh mostra tambem que atràs dum som tem um homem que ta fazel...por agora fico esperando a revoluçao

Anónimo disse...

sore Kamia aproveita bo espace mas pelos visto tem tcheu gente interessod em discuti musica de Cabo Verde, então um aproveita pa convidas pa no discuti na um forum, so clica li e ba pa el.
Guy um gosta de bos pontos de vista, nos que ta dentro no sabe de tcheu cosa que no ta esconde, moda um dze na um artigo na nha site, talvez por nos manera de ser TUDO KOOL, mas no tem que muda isso... lógicoq ue tcheu jornalista que ta bem gosta de musicos estod ta opina, mas acho que no tem tcheu pa dze e tenta limpa um data de mintira que ta corre na nos meio, basta ale alguns entrevista de nos proprio colega pa no fca revoltod que coisas que no sabe ques ta dze na entrvistas e que ê totalmente mintiras...um abraço pa bsot tud.
Humberto Ramos

Baluka Brazao disse...

Porra, a mi djam obi tanto kumentariu sobre es novo genio poliisntrumentista cabo-verdianu ki nunka ka pruduzi nada di jetu ki djam fika kuriosu di obi si obra prima ki sta bem muda perkurso di nos musika.

Kamia aka Chissana Magalhães disse...

Bem,di nha parti djam fica satisfetu di ter despolatadu es profuson di kumentarius. Si ka tchiga a ser um grandi discuson pelo menos da pa cada kenha ki thiga li dexa se desbafu ku mas o menos elegancia e coragem.
Guy Ramos, n'gosta di bu explanason e djan fica ku uns dos ideia novu sobre musika di nos tera.

Obrigadu a nhos tudu.Inclusive Sr. Humberto :)

kiso disse...

Pois!! esse e u kun kre!! despoleta anlises, diskussoes, pontos de vista, manera d oia kosa.... um kosa ta leva a kel ot i ot a kel ot.. ate no txga na verdades de kestoes!!!!!!muito beemmmmm!!

otid ohnet!!

Anónimo disse...

oi kamia, bo ka tem ki agradecem em especial, um ta gosta de anonimato e um ta espera continua assim ate morre.
discuti ê importante porque so assim no ta isda a medjora nos cultura, cada um que sê opinião. agora acho que no tem que fala VERDADE e dze coisas moda ês ê e não moda ta convem na momento.

Humberto Ramos
p.s. thanks kamia pa mas ess espace

Guy Ramos disse...

impurtant a sublinha e ke nes storia de muzika ka ta izisti um verdade . ten e varias verdades y vizoins a partir de varias perpectivas.
Nos realidade kultural e muit variod, diversu y dispersu y asin tb ses diferents senarius e kta predomina nos kultura muzikal. No ten e ksabe dividi koisas pa pode ter um vizaun de kada sujeitu nes polemika. Parsem u isensial e dialoga y faze na pratika. no ta nesesita debate y tra konkluzaun objetiva y a sangue frio de ke no ta stod ta faze komparasaun de parametrus dentr de muzika ke ka e kompativel ma kumpanher. kada koza se lugar. kada koza se nome. kada koza se devidu tratamente analogiku.

ikuasiunond kada des vertentes dentre de muzika y diskriminond kada um des devidament e kno ta pode komesa ta fala de kada des verdades y na fim konklui ke na kada vertent tem um verdade. Ma ke kada verdade e verdade dentre de se kontest. Pur ise dentre des ordem d'ideia mi e de opiniaun de ke ka ta izisti um verdade obsoluta. Ten e verdades konforme rialidad du artista, se kunhesiment, se produsaun artistika, se ambient, ses fasilidads, ses fakuldads, se publiku, media, promotors, produtors, politika de autoridads na se senariu kel tita agi.. ma sobretud tb kunhesiment des negosiu y industria.

Txeu ten riagid li y nots sites imusiunalment y txeu vex sen kunhesiment de base. Klaru ke nos tud tem um opiniaun y nos tud senti na direit de partisipa na u ki e de nos. E nos kultura e nos muzika. Pur isu nos tud ten direit y parte. Ma kuant a min nem tud opiniuan deve ser justifikod des manera. No ten ke pode kritika y dzabafa ma dentre de um logika y dentr des tais verdades kno tita prokura. Fka em silensiu, observa y pska komprende um prusesu sen abri boka ou tekla letras y frases li soment pa faze barulhu sen nenhum objectif konstrutif e bastant mediukre pa um debate seriu busis ka ta otxa. Nisu m kre dze kma no ten kvra ta aborda es asunt kmas seriadade y postura seria.

Ken ten a palavra agora?

Guy Ramos
Rotterdam/Holanda

PS: Kamia brigada pa es tema. ma no kontinua!

Anónimo disse...

Mrs. M_Neverland, klaru.

Anónimo disse...

http://joseboucas.blogspot.com