quinta-feira, 19 de outubro de 2006

What's Hot/What's Not (2)

Hot: Novos cds de Lura e Beto Dias prestes a chegar aos escaparates. A expectativa de ver se Lura consegue manter o nível ou mesmo superar-se é grande. Quanto a Beto, só posso imaginar o dilema que terá sido escolher as músicas para o Best Of se quase tudo o que ele já fez é best.
Nesta semana em que se comemora o dia nacional da Cultura (ontem), e como que para desmentir um dos meus últimos posts, Praia está num corrupio de concertos, pois a música continua a ser a nossa consolança.
Not: A Moura Company continua a tratar o grosso da população de Praia, que recorre aos seus serviços, como animais da mais baixa condição. Com a cumplicidade da policia de transito (que eu, por diversas vezes, já vi a observar os autocarros hiper-lotados da Moura impávidos e serenos, sem bulir um músculo) a Moura tem agora nas paragens de autocarro um funcionário que se encarrega de garantir que os autocarros só partem para a próxima paragem quando já estão a rebentar pelas costuras. Nas horas de ponta o interior de um autocarro da Moura assemelha-se ao que se passava nos porões dos navios negreiros, com as pessoas coladas umas as outras, pisoteando-se, e os condutores a comportarem-se como capatazes, a quem só falta o chicote.
A Moura tem grande parte de culpa nesse cenário porque não disponibiliza mais autocarros nas suas linhas para evitar essas situações, pelo contrário faz questão de garantir uma viagem o mais desconfortável possível aos seus utentes. Á polícia cabe uma outra fatia de culpa pois nada faz para dar um fim a esta situação. Penso até que ninguem vai fazer nada de nada. Porquê? Primeiro, porque o pessoal da Moura deve estar bem cotado no mercado, gozando de excelentes relações com quem deve pôr um cobro nessa situação.
Segundo, porque quem está a sofrer na pele é o povo. Quem importa nesta terra tem o seu jeep, ou mesmo o seu starletezinho, e está-se marimbando para as condições em que a sua empregada, a sua secretária, o seu eletricista ou funcionário chega ao trabalho. No máximo, aquele espetáculo fere-lhes as vistas mas, assim que deixam de o ver, esqueçem-no.
Por fim, o grande culpado desta situação continuar é mesmo o povo, os utilizadores dos "autocarros" da Moura. Incrível o silêncio, o conformismo, o dexa bai. Alguns mandam bocas quando o aperto é tanto que mais parece que estão a ter relações íntimas com a pessoa colada a sí, ou quando o autocarro demora-se demasiado na paragem e percebem que vão chegar atrasados ao emprego. Mas a grande maioria cala-se perante a indignidade a que são sujeitos. Tenho para mim que se a empresa fosse da responsabilidade do Governo já teriamos visto no telejornal alguem a esgoelar-se, apontando o dedo e exigindo medidas.
Pois bem, o Governo que faça aquilo que está ao seu alcance fazer (creio que será pressionar a policia de trânsito a agir) e todos os que se dizem interessados no bem estar dos cidadãos praienses que mexam as suas influências e pressionem a Moura a parar de tratar pessoas como animais. Estou a pensar na Camara Municipal, na Pró-Praia e na Adeco, por exemplo.

5 comentários:

Pura eu disse...

Querida Kamia, quanto ao CD da Lura não te posso dizer nada ainda... mas o do Beto está naquela base que tanto apreciamos... compra o disco. Os autocarros estão a deteriorar-se na Cidade da Praia... há que denunciar isto, de facto.

Matilde disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Matilde disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Oiá disse...

Olá pessoal! O OIÁ: Mostra Internacional de Cinema Dcoumental começa amanhã, no Mindelo, e vai até o dia 29, com filmes, palestras, debates e uma oficina. Confira a programação no BLOG!

Kamia aka Chissana Magalhães disse...

Olá meninas. Margarida,comprarei o CD sim. Já sei que músicas foram escolhidas e, a pesar de terem ficado de fora algumas de que eu gosto muito, está um conjunto maravilhoso.

Visto e anotado, Matilde. agora é esperar que chegue a nossa vez.