sexta-feira, 16 de março de 2007

Mês do Teatro

Chegada esta altura do ano, toda gente que gosta de teatro gostaria de mudar_se para S. Vicente. Como, infelizmente, nem sequer me posso dar ao luxo de uma fuga ao fim de semana contento_me em ler Os Anoes de Harold Pinter. É o seu unico romance e a primeira obra que ele escreveu. A partir dela so escreveu teatro, inclusive adaptou esse romance ao teatro. Nos tivemos oportunidade de ver uma adaptaçao dessa peça encenada pelo grupo de teatro do Centro Cultural Portugues da Praia (Quem vai ser esta noite), peça esta que vai ser _ ou ja foi_ apresentada no Mindelact.
Quando vi a peça, nao sei porque, enfiei na cabeça que era do mesmo autor da peça apartir da qual se fizera a adaptaçao de
Closer ( filme de Mike Nichols, 2004). Mas nao, o autor da peça que deu origem ao fabuloso filme é Patrick Marber.
Quando comprei o livro de Harold Pinter nem me lembrava que tinha sido ele o prémio nobel de 2005 e o facto é que eu tinha guardado o fabuloso discurso com que Pinter recebeu o prémio nobel, tanto ele me tinha impressionado.
Bem, tenho estado em bom ritimo de leitura ultimamente: desde Janeiro ja devo ter lido perto de uma dezena de titulos e tenho muita coisa interessante na estante a espera de leitura ( Paul Auster, Rubem Fonseca, Gabriel Garcia Marquez, Marguerite Duras, Henry Miller...), so que alguns destes nao sao meus e espero que os donos tenham paciencia : )
A novidade é que até eu estou a colaborar neste Março Mês do Teatro: escrevi uma peça para miudos do liceu. É a primeira vez que o faço e nao me parece que va fazer carreira. Quero dizer, até foi divertido, mas nao é assim tao fàcil. Imagina escrever uma peça a sério...
Peço desculpas se o texto aparecer com erros de acentuaçao: teclado franciù...

2 comentários:

micaelabarbosa disse...

Oi kamia. A peça «Quem vai ser esta noite» não é do grupo de teatro do centro Cultural Português, grupo esse que nem existe. O espectáculo faz parte dum projecto independente, dum grupo de pessoas que se juntou para realizar algo que os unia. A dado momento optamos por lhe dar um nome - «Projecto teatro Praia», mas nada tem a ver com o Centro Cultural.

Kamia aka Chissana Magalhães disse...

Ola Micaela.Sim, ha dias lendo uma nota no jornal sobre a estreia da peça em Mindelo percebi a minha falha.Obrigada por teres chamado aqui a atençao para este facto.
Espero que o Projecto continue de pé.