segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Ligações

Este post foi escrito antes de eu ver o Tropa de Elite. No filme brasileiro os maus da fita não são os traficantes (que, segundo o discurso do filme, têm a desculpa de terem nascido pobres e sem opções na vida), nem os policias corruptos (que, segundo o discurso do filme, se for honesto sai sempre f**d#$%do) e muito menos os policias da BOPE (que, pelo tom do filme, são uns heróis que têm mesmo é que matar os traficantes). O discurso do filme aponta como "maus da fita" justamente os betinhos da classe média, os viciados que alimentam o tráfico e são os únicos que não têm desculpa para fazer o que fazem.
Independentemente de concordar com o quinhão de culpa da classe média consumidora, não gostei do tom heróico dado ao Batalhão de Operações Policiais Especiais. O filme ao mesmo tempo que nos mostra os horrores cometidos por estes policias oferece - intencionalmente ou não - uma visão romântica do batalhão e parece concordar com os seus métodos.
Referi-me a Tropa de Elite no mesmo post em que me referi a Cães Danados, que tinha (re)visto na mesma altura. Os dois filmes terminam da mesma maneira (ATENÇÃO, SPOILER: quem não viu os dois filmes que não leia, se não quiser saber do fim antes de visioná-los): um tiro que não chegamos a ver se encontra o seu alvo ou não (o chamado final em aberto).
Por falar em Cães Danados, também este filme tem os seus pecados. Ou muito me engano ou percebi lá um certo subtexto racista. A dúvida é se terá sido uma opção artistica de Tarantino ou reflexos das suas convicções (hope not!).
Ou seja, temos dois filmes que são inegavelmente bons mas um resvala para um certo fascismo e outra para o racismo?

3 comentários:

Eileen disse...

Kamia, aluguei ontem Cães Danados e vê-lo-ei hoje. Logo digo qualquer coisa... beijos
Mas por enquanto: para quê esta chatice de "word verification"? Dá-me sempre uma preguiça...

Chissana Magalhães disse...

Ena, até me lembrei dos tempos da minha coluna no jornal quando escrevia sobre um filme e depois recebia e-mail de alguem a dizer que o tinha alugado e me dizia o que tinha achado. Era a melhor parte. :) Tenho saudades da coluna; eu continuo a escrever criticas para mim mas tem outro sabor discutir o filme com outras pessoas: eu adoro e tenho pena que no blog quase nunca tenha conseguido esse feedback.

Bem, quem sabe tu não és a primeira?
Aprecia o filme e espero que não sejas muito sensível à violência gráfica.

About the word verificaction...it sucks, but i can't help it. Não sei como foi ali parar nem como tirá-la dali :) A mim também chatea-me.

Obikuelu disse...

oi, vi o TROPA DE ELITE e fiquei com a impressão que faltou alguma coisa na tua análise. Achei o filme mt bom, um verdadeiro soco no estômago. Um grande desmonte de raciocínios pré-concebidos sobre um monte de coisa que rola na sociedade de lá e de cá, embora tem coisa que o filme retrata que passa longe da nossa realidade. De resto a particularidade que detectei é mostrar que todo mundo erra e paga carro. Aliás o filme não julga o capitão nascimento, mas mostra os erros de que de certeza ele veio a ser acusado. Se não o porquê do relato da perspectiva da policia.
O filme é duro e as cenas de violência são muito fortes, principalmente o diálogo. "...então senta o dedo nessa coisa.." o capitão ordenando o policial para eliminar bandidos e policiais corruptos.
A parte isso achei o filme mt bom e válido fornecendo mts elementos de reflexão.

Ah sim a Eileen tem razão, Vê lá nas configurações do blog na área de comentários, lá tem um campo de marcar para utilizar o campo de verificação de palavras.