sexta-feira, 9 de dezembro de 2005

iMPRESSÕES

iMargens Marginalizado. O 1º Festival de Cinema e Video dos países de língua portuguesa chega ao fim amanhã, e parece que o saldo não é lá muito positivo. Nas sessões a que assisti até agora as salas estavam vazias (três gatos pingados) e, pelos comentários dos que foram a outras sessões, tem sido mais ou menos assim em todas. Senti-me tentada a culpar o organização de pouca publicidade mas reconheço que não é nada disso. Anunciou-se na televisão (TCV e RTP África), na rádio, há cartazes por todo o lado e também na internet se tem divulgado. O problema está mesmo no público cabo-verdiano.
O quê? Filmes sem heróis musculados aos pontapés e mocinhas curvílineas aos gritos?! Nada de explosões e perseguições?! Não há comédias disparatadas?! Náááá !!! E mesmo os intelectuais e pseudo-intelectuais que polulam por estas ilhas não tem dado as caras. Está tudo a ver um Benfica - Manchester, um Porto - Artimedia. Ou então a encher avenidas em passeatas... Mas, eu caia mortinha se amanhã a gala de encerramento e atribuição dos prémios na AN não vai estar á transbordar de chiques-vipes e intelectualóides. Pois é.


Gilyto, Mr. Entertainer (?!?). Aí está um jovem que sabe bem o que quer e como o conseguir. Gilyto começou a sua carreira um pouco na sombra de Gil Semedo de quem, se não me engano, é primo e em quem "inspirava-se" muito. Agora parece finalmente estar a conseguir o seu lugar ao sol, muito por conta do modo inteligente como tem feito uso de certos recursos.
Gilyto tem há quase um ano um enorme outdoor na avenida mais movimentada da capital, a publicitar o seu CD Diamante Africana ( a ousadia do jovem vai ao ponto de fugir ás regras da gramática para dar título ao seu album). Não sei os custos de tal investimento, mas não deve ser pouca coisa e não é empreitada para qualquer cantorzinho sem padrinhos poderosos.
Agora Gilyto acaba de lançar um DVD que inclui 11 video clips, a sua biografia e comentários de várias personalidades ligadas á música, incluindo Gil e Vado Semedo. Para tal façanha, ainda novidade entre os cantores cabo-verdianos (noutras paragens isso já acontece há muito) Gilyto foi apadrinhado por pesos-pesados como a TACV, a Fnac, a Garantia, a site For CV, entre muitos outros.
Gilyto tem também um site (www.gilyto.com) onde encontramos um pouco de tudo. Desde agenda de concertos (baptizado de Diamante Tour), comentários da imprensa, a apresentação do DVD, fotos e onde se pode comprar os CDs dele.
Não é impressionante? É que aqui em Cabo Verde as pessoas gostam de Gilyto sim, mas ele não é um dos "grandes", ele não tem essa força toda. Parece-me que é lá fora, entre os imigrantes que Giltyto tem começado a atrair mais público. Porém, ele parece estar determinado a conquistar um lugar de destaque. E para isso está a fazer uso da poderosa máquina que é o Marketing e a Publicidade. Tanto que, daqui a uns tempos, ele que nomeou-se a si mesmo Mr. Entertainer começará a ser assim chamado pela imprensa e por todos. Mesmo que para chegar a ser um verdadeiro Mr. Entertainer tenha ainda muita cachupa para comer.


Valorização. Falando em publicidade lembrei-me agora duma coisa "engraçada". Sabem aquela publicidade que anuncia novos edifícios junto ao Palácio do Governo (mas do outro lado da avenida, ao lado do Gimno Desportivo) e refere-se áquela zona como a mais valorizada da cidade? Pois é, não ponho em causa o valor da área mas bem que podiam fazer qualquer coisa quanto ao mau cheiro que por lá há. Uma pessoa passa por lá no seu jogging e quase cai para o lado, intoxicada. Outra área hipervalorizada é o Palmarejo. Sim, as vacas e bois que por lá desfilam durante o dia dão muuuuuito valor ao local. E o cheiro nauseabundo junto aos prédios novos?! Muuuuito valorizante! Sei...

4 comentários:

Gafanhotu disse...

oh baby ah um problema de comunicação em Cabo Verde violento. O fato da programação ter sido anunciada, na rádio, na tv, com cartazes não implica que a informação tenha alcançado o público alvo. Quem assiste esses médios é atingido de facto, mas e aí essa publicidade é feita de modo a estimular a reação das pessoas para ir assistir? As crianças e jovens que podem ir a essas sessões das 16 e das 18 são devidamente informadas e sensibilizadas? Creio que as pessoas que anunciam pensam curto e informam aqueles que se informam, aqueles que não se informam e são a maioriam ficam marginalizadas.
djam bai!

Manuel Jorge Marmelo disse...

Pelo menos dentro de um dos prédios do Palmarejo o cheiro também não é lá muito agradável. Para não falar dos pequenos ratos que saem do elevador quando a gente entra...

Kamia aka Chissana Magalhães disse...

Gafanhotu, não tinha pensado nisso assim. Mas vendo bem, tens razão. A publicidade dirige-se a quem tem interesse no assunto, a quem procura essa informação e não procura conseguir novos publicos.

Caramba! Isso do cheiro e dos ratos num prédio do Palmarejo é a sério?! Que tristeza...

Álvaro Brandão disse...

Obrigado pelo link. Gostei bastante do "So pa fla". Vou voltar (ao blogue e a Cabo Verde também).