sábado, 16 de abril de 2005

AUTOCARRO 10: CALABACEIRA/PALMAREJO

Este foi o percurso que fiz há dias.Meti-me no dito autocarro - não armada em antropóloga e já com a ideia de investigar,longe disso - e ao longo do percurso fui observando o ambiente de cada bairro.
Devo dizer que foi uma viagem deprimente do inicio ao fim.E embora eu não tenha descido e pisado o terreno, a minha viagem no autocarro 10 foi suficiente para perceber o fosso, cada vez maior, entre a pobreza de uns e a riqueza de outros.
Calabaceira.Ruas sujas,valas cheias de lixo que as lixeiras da Camara Municipal queimam num dia e no outro "renasce" no mesmo lugar.Dezenas (ou serão centenas?) de cães vadios a conviver de perto com crianças magras e mal vestidas.Casas humildes(algumas inacabadas) ou casas boas, mas mais gradeadas que a cadeia de Alcatraz.Botequins montados na rua, com mesas e cadeiras quase na estrada e outros feito de tábuas.
E nas paredes por onde ia passando, escrito a cores berrantes, as marcas das sucessivas campanhas, do tempo em que os políticos se lembram daquela gente (Vota MPD, Vota PCD, Vota Filu...).
O autocarro 10 seguiu o seu caminho a transbordar de passageiros a maior parte com destino ao Palmarejo: serventes de obra, empregadas domésticas, seguranças...) e já perto do seu destino cruzava com os jeeps dos de Palmarejo a caminho dos seus empregos no Plateau, Achada Sto. António, etc.

Palmarejo.Quanto mais fundo se penetra no bairro mais o luxo salta á vista.Ruas calcetas e limpas.Vivendas de luxo e mansões de marmorite.Escola particular para as criancinhas para onde os pápás as levam de carro.Lanchonetes catitas e restaurantes confortáveis.Seguranças á porta de casa e até polícias nas ruas(!). Enfim,parece o paraíso.Será?
Todos sabemos da violência que tem assaltado esse bairro ultimamente.Bom, não me admira.Ou será que pensam que os capos do narcotráfico caboverdeano vivem nas "Calabaceiras" desta cidade?
Bem, já vai sendo hora de sossegar os meus dedos.O que eu tinha a dizer já disse.Ou será que só falei e não disse nada?Pode ser...


PS: A descrição que fiz de Calabaceira na verdade encaixa-se em muitos outros bairros da pereferia da cidade da Praia.Inclusive lá mesmo perto do Palmarejo falaram-me num bairro em piores condições a que chamam "Palmarejo B".

7 comentários:

Anónimo disse...

Adorei o comentario sobre calabaceira e Palmerejo mas é preciso falar mais sobre essas diferenças. Fala tambem sobre os pseudo copus lete que se cham donos de lugares públicos e dofrentes de outras pessoas.
Abraços

Palavra Imagem disse...

Gostei de ler a tua critica! Parabéns!

Palavra Imagem disse...

Olá! Recebi de um colega blogueiro um questionário que está a circular por vários blogs e estou a convindar-te a seguires respondendo e passando esse questionário a mais gente de outros blogs. Vai a http://verbumimagus.blogspot.com/ , e verifica de que se trata!

Kamia aka Chissana Magalhães disse...

Caro "palavra imagem" obrigado pelo comentário e pela dica sobre o questionário.

Anónimo disse...

Tudo isso é verdade sim!!! Uma vergonha para o Cabo Verde 30 anos depois da Independencia. Será que voces "geração da independencia" estarão na disposição de mudar este estado de coisas? Afinal, para que haja justiça social é preciso dividir mais equitativamente o bolo. Será que voces jovens quadros irão prescindir de uma parte do bolo para que haja justiça social? Afinal tu moras no Palmarejo e tens um status "copu leti"... Para bom entendedor...

Kamia aka Chissana Magalhães disse...

Hum! Só hoje (01/09/05)é que descobri este último comentário e sinceramente fiquei surpreendida.
Mas deixa-me esclerecer duas coisas "anónimo":eu não moro no Palmarejo. Trabalho no Palmarejo. E se há coisa que eu não seja absolutamente é "copu leti" (heresia!heresia!). Na verdade, eu moro na Achadinha Baixo e não tenho problemas em dizê-lo. Também ainda não sou "jovem quadro" porque ainda estou a estudar.
Mas gostei do teu comentário e concordo contigo que é preciso fazer e não só falar. E que a nossa geração é a que terá que alterar o estado das coisas. Infelizmente não é o que eu tenho visto por aí. A maioria dos jovens quadros estão a voltar "infectados" pela ambição pessoal e pela vontade louca de aparecer.
Mas vamos ter esperança, não é?

Roberto Iza Valdes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.